A vida e seus miúdos de alegria

Um dia desses, no metrô, a senhorinha (provavelmente com o dobro da minha idade, pequenina, blusa de lã, sapatinhos baixos), chegou bem perto do meu ouvido e perguntou:

— Moça, você acha melhor eu tirar uma foto no retratista ou no Poupatempo?

— Se a senhora tiver condições, acho que é melhor no retratista.

— Que tipo de condições?

— Conhecer um retratista, ter tempo de ir até ele. Coisas assim.

— Eu quero estar muito bonita.

— Então a senhora talvez não precise de um retratista. Basta sorrir. Tenho certeza de que ficará linda.

— Você acha mesmo? Vai ficar assim… como o seu?

— Acho que vai ficar melhor. A senhora teve mais tempo de treinar sorrisos do que eu.

Ela abriu um sorriso. Largo, maior que o meu.

A vida e seus miúdos de alegria. Desci na estação, mas não esqueço aquela carinha ♥

Comentário