Campanha Nacional de Filiação ao PMDB

Amigo leitor, querida leitora, enquanto eu pensava em ideias simples para contribuir com a atividade político-partidária deste país, uma vez que custa a sair das primeiras páginas dos jornais aquele odor fétido, desses que vêm à tona quando se começa a mexer em entranhas e lixeiras, ocorreu-me algo inusitado, um pensamento que venho agora a dividir com vocês. É tudo muito simples e eu os conclamo humildemente a fazerem chegar estas linhas aos rincões mais escondidos deste país.
Lanço aqui a Campanha Nacional de Filiação ao PMDB, certo estando de que os mais chegados imediatamente irão se indagar se perdi algum parafuso ou se está o excesso de trabalho a prejudicar meu bom juízo e minhas convicções políticas.
Quero, de pronto, tranquilizá-los de que tudo anda bem por aqui, e que, caso não tenhamos nos falado recentemente, sigo gozando a pleno de minhas capacidades intelectuais, ainda que convicto de que uma rotina menos dura algum benefício poderia valer.
Deixo claro, de antemão, que eu próprio não poderei me filiar, não porque me falte a vontade, apenas e tão somente porque creio que minha função de jornalista é incompatível com a filiação a partidos políticos, cristalino está que haveria aí um confronto de interesses.
Mas fique o amigo tranquilo de que não serei apenas o fundador, mas também o agitador-mor da campanha, tão seguro estou de seus benefícios para o aprimoramento de nossa democracia.
O amigo amapaense que lê o Jornalirismo na capital Macapá ou nas outras 15 cidades do Estado, e que é representado em Brasília pelos senadores José Sarney (PMDB), Gilvam Borges (PMDB) e Papaléo Paes (PSDB, mas sarneyzista de coração), vá ao diretório do PMDB e peça sua filiação. Diga ao secretário-executivo do partido em seu Estado que você gostaria de dar sua contribuição, proponha temas, projetos e deixe claro que gostaria de ter direito a votar também e até de participar da elaboração da lista de candidatos do partido.
Tenho certeza de que este texto despertará também no amigo maranhense que lê o Jornalirismo em São Luís ou no município Presidente Sarney ou até quem sabe na cidade Governador Edison Lobão – o leitor de faro mais aguçado certamente quererá visitar o portal do IBGE (clique aqui para acessá-lo) para confirmar que realmente existem no Maranhão outras cinco cidades de nome Governador Fulano de Tal e ainda outra que ostenta o nome de Presidente Médici, cândida lembrança de nossa história recente – a vontade de visitar os diretórios municipais e estadual do PMDB por aí para contribuir com a atividade política de nosso país. Vá lá, peça sua filiação e diga a seus colegas de partido que você quer ajudar a governadora Roseana Sarney a aperfeiçoar o Estado do Maranhão e também o presidente do Senado, José Sarney, a administrar melhor o Congresso Nacional.
Estou convencido de que o ex-governador Orestes Quércia, presidente estadual do PMDB em São Paulo, acolherá de braços abertos os paulistas que aparecerem no partido requerendo sua filiação e estará tão mais confortável fazendo alianças e orientando a bancada quanto mais e mais pessoas ingressarem no PMDB paulista para exercer o direito à palavra e ao voto, sabendo ele que votaram desta ou daquela maneira dentro do partido tantas centenas, milhares, dezenas de milhares de pessoas.
Da mesma forma eu conclamo o amigo alagoano, esteja você em Maceió, em Marechal Deodoro (saiba que eu sinto muita saudade da carapeba, do peixe-agulha e da praia do Francês) ou em algum dos outros cem municípios do Estado, que apareça na próxima reunião do PMDB e diga que você quer ajudar o senador Renan Calheiros a fazer um Brasil melhor, ele que tanto poder tem na República e tanto pode engrandecer este país.
Eu convoco também o amigo roraimense a filiar-se ao PMDB local e agraciar o senador Romero Jucá com seus conselhos. Tenho profunda crença de que ele não só irá ouvi-lo como sensatamente levará adiante as propostas do partido no Senado com mais veemência quanto maior for sua participação e maior o número de amigos que você convencer a se filiar ao PMDB de Roraima.
Esteja certo de que os governadores Eduardo Braga (AM), Paulo Hartung (ES), André Puccinelli (MS), José Maranhão (PA), Roberto Requião (PR), Sérgio Cabral (RJ), Luiz Henrique (SC) e Marcelo Miranda (TO), além da governadora Roseana Sarney, já citada, todos eles do PMDB, estão à espera de sua contribuição.
Além deles, os senadores Mão Santa (PI), Almeida Lima (SE), Paulo Duque (RJ), Wellington Salgado (MG), Garibaldi Alves (RN), Valdir Raupp (RO) e outros, além dos já citados, quererão ouvir o que você tem a dizer. Sem contar um sem-número de deputados federais, como Jader Barbalho (PA), para citar apenas um peemedebista ilustre da Câmara.
Vá lá e venha nos contar. Se não sair da maneira como imaginamos, voltaremos ao tema.
Não se esqueça: Campanha Nacional de Filiação ao PMDB.
Mas comece já: há muito trabalho a fazer. O PMDB é o maior partido do Brasil e não pode ser governado apenas por essa gente tão boa, porém tão insuficiente. Filie-se e governe o PMDB – e o país – você também!

* Texto originalmente publicado no blog Miradouro.

2 comentários para “Campanha Nacional de Filiação ao PMDB”

  1. MARIA APARECIDA DE OLIVEIRA

    JOÃO DANIEL ESTOU DE ACORDO COM VC, TANTO QUE, O MEU UFAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, FOI MAIOR……….
    MAS…VAMOS A LUTA, CONCORDO QUE PRECISAMOS DE PESSOAS PARA LEVANTAR A BANDEIRA MAIS ALTA QUE PUDER..

  2. João Daniel

    Ironia avassaladora
    Confesso que o titulo me surpreendeu, fiquei atonito ao ler o inicio do texto, mas com tamanha ironia fui consolado…ufa…

Comentário