Compartilhe sua sabedoria

Honra teu Pai, Fama & Anonimato e Cem Anos de Solidão são livros que gostei de ler. Você já leu os três? Não? Então, é burro. Você concorda com isso? Claro que a resposta é negativa. Ouço Chico Buarque, Ligabue e Elvis Presley. Você gosta? Não? Então, é burro. Você concorda com isso? Claro que a resposta é negativa outra vez.

Eu gosto de literatura, de textos informativos e de charges. Você gosta? Não? Então, é burro. Você concorda com isso? Claro que a resposta é negativa. Eu falo italiano, espanhol e inglês (deste eu não gosto muito). Você fala? Não? Então, é burro. Você concorda com isso? Óbvio que não.

Talvez você possa me responder da seguinte maneira: eu li Laços de Família, Veronika Decide Morrer e A Cabana. Ouço Elis Regina, Frejat e Bocelli. Gosto de biografias, psicologia e religião. Falo francês, alemão e hebraico.

O burro então sou eu? Claro que não. Somos e temos gostos diferentes, apenas. Porém, isso não significa que não possamos compartilhar um com o outro aquilo que sabemos. O problema é o egoísmo. Sim, o egoísmo de não ter a capacidade de compartilhar com os outros o que aprendemos. O egoísmo de não dividir nossa sabedoria com as outras pessoas por medo de ficarmos fracos e por baixo.

Você já deve ter aprendido com um analfabeto algo que levará para toda a vida. Como também deve ter aprendido com um doutor algo que levará para toda a vida. Você deve ter um amigo, amiga, parente ou conhecido que te procura para pedir conselhos. Você ajuda e se sente o máximo. Mas quando precisar de conselhos? Vai pensar que é o máximo e não precisa dos outros?

Pare de pensar que é mais importante que os demais. Nunca saberemos tudo na vida, conforme-se. Nunca pense que uma pessoa é menor, idiota ou burra por não saber aquilo que você sabe há anos. Certamente ela sabe sobre assuntos de que você nunca ouviu falar.

Agora, tente compartilhar com as pessoas o que você aprendeu. Eu garanto que o sentimento de leveza te fará uma pessoa cada vez melhor.

 

Comentário