Eu tenho um amigo que tem depressão

Depressão é o mal do século, muitos já ouviram falar disso. Segundo a Organização Mundial da Saúde, há cerca de 400 milhões de pessoas com depressão no mundo (7% da população mundial). Em 2015, de acordo com a IMS Health do Brasil, empresa de pesquisa e conteúdo para a indústria farmacêutica, foram vendidos 11,6% a mais de caixas de antidepressivos e estabilizadores de humor do que em 2014 (no mesmo período, por exemplo, a venda de antibióticos aumentou 3,5%).

Apesar de muitos admitirem tomar esses remédios, poucos consideram ter depressão e ignoram algumas atitudes provocadas por ela. A maioria se relaciona normalmente com todos. São as melhores pessoas: do bem, engraçadas, carinhosas, se preocupam com o bem-estar dos amigos e vibram com cada conquista de quem está por perto. Você olha pra elas e pensa: “Quero ser amigo dessa pessoa!”. E vocês ficam amigos.

Quando um amigo está deprê por algum motivo específico, a gente já se prepara para compreender as reações fora do comum, porém, quando um amigo tem depressão, nós nunca sabemos quando teremos de lidar com um turbilhão de atitudes inesperadas. Atitudes, num primeiro momento, desimportantes, como uma ausência num compromisso confirmado; um telefonema sem resposta ou desculpas sem sentido.

Depois de algumas repetições, a gente acaba se dando conta de que aquela pessoa que todo mundo adora a presença queria, mesmo, era ficar em casa. A gente repara que, no fundo, aquela pessoa que é amada por todos não se sente digna desse amor e tem medo de que essa triste convicção, construída por tanto tempo, seja desmoronada. A gente tem certeza de que quem tem depressão não quer magoar ninguém e inventa desculpas para amenizar as atitudes que ela não queria ter tido.

Aí aquele nosso telefonema não atendido é retornado com um “Oi. Eu tava dormindo”, que pode ser traduzido para um “Eu sei que você sabe que é uma desculpa, mas faz de conta que acredita em mim pra eu não ficar ainda mais triste por eu ter te deixado chateada”. E fica tudo bem. Assim como aquele atraso, que é justificado pela simples presença, que só de eliminar aquela nunca bem-vinda ausência, coloca um sorriso no rosto de ambos.

Então aquela sensação inicial de não saber lidar com a situação e que te fez pensar que havia entrado de gaiato no navio e que “entrou, entrou, entrou pelo cano” é transformada na melhor das descobertas: aquele era o navio mais legal de todos! Um navio que, às vezes, sai do prumo pra te mostrar que você também é igualmente humano e tem sentimentos tão incomuns quanto o seu amigo que tem depressão. Que fica triste por coisas bobas e deixa o outro triste sem querer. No final, a viagem continua ainda melhor, porque vocês dois descobrem, juntos, que mesmo nesses dias fora do prumo, ninguém nunca vai abandonar o barco.

Créditos da imagem: Conta Comigo (Stand by me), de 1986. Divulgação

9 comentários para “Eu tenho um amigo que tem depressão”

  1. Thais Polimeni

    Thais Polimeni

    Oi, Re!! Ah, que lindo seu comment. Fico feliz que tenha achado isso. A ideia era contar a depressão sob outro ponto de vista, maa sem perder a importância que ela tem pra quem sente. <3

  2. Thais Polimeni

    Thais Polimeni

    Oi, Tamiris! Que bom que gostou do texto e que te ajudou nessa pesquisa. Vamos seguindo nessa descoberta de como lidar com a depressão, né? Boa sorte!!

  3. Renata Moniz

    Tha, que texto sutil e verídico! Eu amei! Parabéns <3!

  4. Tamiris Ciuccio

    Adorei o texto, me identifiquei e vou usar como referência nas minhas pesquisas sobre este tema. Obrigada pela inspiração e palavras!

  5. Thais Polimeni

    Thais Polimeni

    Oi, Eliane! Muito obrigada! Fico feliz que tenha gostado!

    Lidar com quem tem depressão não é fácil e minha ideia foi expressar esse sentimento, mesmo. O importante é não desistirmos!

    Superbeijo,

  6. Eliane

    amei seu texto 👏👏👏👏

  7. Eliane

    Belo texto, expressou o q realmente acontece, e as pessoas em volta às vezes não percebem, e muitas vezes não sabem o q fazer.

  8. Thais Polimeni

    Thais Polimeni

    Oba! Obrigada, Josoé!! Sucesso pra nós!
    Beijos,

  9. Josoé Polia

    Amei sua crônica amiga. Tudo de bom e sucesso.

Comentário