Juro que ouvi um grito de gol

 
Em 2014 temos Copa do Mundo. Mas, na madrugada deste sábado, 27 de março, vivemos algo que me pareceu um pequeno momento de antecipação do maior torneio de futebol do planeta.
Era como uma partida final, com torcedores escalando alambrados, a gritar, a esmurrar o ar (como fez Pelé, um dia) e, principalmente, a soltar fogos na comemoração orgásmica.
Faltaram apenas a bola, os 22 uniformizados e o estádio propriamente dito. Mas a galera estava lá, e pelo menos dois garantiram fardar-se de uniformes por um bom tempo.
Estou falando do julgamento do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, condenado pelo assassinato da pequena Isabella.
Passados os cinco dias de Carnaval à frente do Fórum de Santana, a multidão se viu saciada de Justiça (ou seria de vingança?). Como nas arenas e coliseus de outrora, um gesto similar àquele dos césares fez a galera explodir em euforia.
Olhando a distância, fica fácil entender os episódios de histeria e de vandalismo que levam aos tão comuns linchamentos e depredações, como a recente destruição de trens e instalações ocorrida no Rio de Janeiro.
Apesar de “cordial”, como dizia Sérgio Buarque de Holanda, pai do Chico, acho que o brasileiro gosta mesmo é de ver sangue, mesmo que este “jorre” no sentido figurado. Na falta de touradas, nos contentamos com julgamentos elevados pela mídia a superproduções espetaculares.
Vou te dizer uma coisa: eu tenho medo!!!
 

5 comentários para “Juro que ouvi um grito de gol”

  1. patricia

    pra mim também dá medo!é assustador porque de onde as pessoas que estavam lá tiraram a certeza,aquela necessária em casos que envolvem vida ou perda dela, a Absoluta!
    uma coisa tão forte de responder à violência com mais violência!crianças no meio da correria,um perigo!
    triste indicador…

  2. Amaury Antunes Guedes

    o Aerus Transtornou a Minha Mida!
    Continuação.
    continuar sendo a pessoa que sempre fui, alguém que ajudava todo mundo, ria, chorava, mas… estava de bem com a vida. Então eu penso….Será que é preciso mandar email para DEUS? Pelo amor de Deus! Obrigado por nos darem voz. O momento é agora, o tempo urge. Espero confiante também na JUSTIÇA como foi ágil e efeciente para o caso ISABELLA.

    Amaury Guedes Aposentado Varig/Aerus 75 anos vegetando.
    RG 4.330.775-9 SSP.SP
    [email protected]

  3. Amaury Antunes Guedes

    O AERUS TRANSTORNOU A MINHA VIDA!
    Continuação…
    dessas cidades. E nós?? Só porque o nosso drama é silencioso, não destrói pontes e casas…mas destrói dignidade, auto-estíma, até o amor ao próximo. Não desejo ser um aposentado incrédulo. Estamos perdendo seguro de vída, plano de saúde, patrimônio construído ao longo de uma vida de trabalho e sacrifício. Os flagelos de Angra dos Reis, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, São Paulo e no Haiti, agora no Chile muito justo ser solidário, o governo já disponinilizou US$……. milhões. Apenas queremos a mesma atitude no socorro financeiro para minimizar o nosso drama. Não merecemos essa desatenção do governo. Nós também estamos em situação de risco e há muito tempo…. “vegetando”!….. Eu não gostaria de me sentir assim, tão insensível. É muito triste. Sinto que estou precisando de uma dose de compaixão , uma injeção de amor e ânimo que me de estímulo a continuar sendo a pessoa que sempre fui, alguém que ajudava todo mundo, ria, chorava, mas… estava de bem com a vida. Então eu penso….Será que é preciso mandar email para DEUS? Pelo amor de Deus! Obrigado por nos darem voz. O momento é agora, o tempo urge. Espero confiante também na JUSTIÇA como foi ágil e efeciente para o caso ISABELLA.

    Amaury Guedes Aposentado Varig/Aerus 75 anos vegetando.
    RG 4.330.775-9 SSP.SP
    [email protected]

  4. Amaury Antunes Guedes

    O Aerus Transtornou a Minha Vida!
    Se me permitem, vou fazer uma auto-crítica.
    Parabéns, a JUSTIÇA foi feita. lembro que:
    O AERUS TRANSTORNOU A MINHA VIDA! Nesses quase quatro anos que vem dilapidando, dia-a-dia, a minha vida, chego ao ponto de não mais ser capaz de me compadecer do sofrimento dos outros, Caso Isabella, das pessoas que perderam casas e vidas com as chuvas e terremotos e outras catástrofes. Isso porque o nosso sofrimento, dos aposentados Aerus, é grande e o governo e a Justiça não fezeram nada para resolver, estão lavando as mãos como Pilatos, enquanto muitos colegas morrem (a cada quatro/cinco dias, é um que falece!). É uma situação muito triste. Penso que o nosso drama é tão grave quanto o das tragédias que ocorreram nos últimos dias. Mas, tristemente, parece que a minha compaixão se esgotou… Não consigo me importar e chego até a sentir inveja e raiva em saber que o governo libera verbas para a reconstrução dessas cidades. E nós?? Só porque o nosso drama é silencioso, não destrói pontes e casas…mas destrói dignidade, auto-estíma, até o amor ao próximo. Não desejo ser um aposentado incrédulo. Estamos perdendo seguro de vída, plano de saúde, patrimônio construído ao longo de uma vida de trabalho e sacrifício. Os flagelos de Angra dos Reis, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, São Paulo e no Haiti, agora no Chile muito justo ser solidário, o governo já disponinilizou US$……. milhões. Apenas queremos a mesma atitude no socorro financeiro para minimizar o nosso drama. Não merecemos essa desatenção do governo. Nós também estamos em situação de risco e há muito tempo…. “vegetando”!….. Eu não gostaria de me sentir assim, tão insensível. É muito triste. Sinto que estou precisando de uma dose de compaixão , uma injeção de amor e ânimo que me de estímulo a continuar sendo a pessoa que sempre fui, alguém que ajudava todo mundo, ria, chorava, mas… estava de bem com a vida. Então eu penso….Será que é preciso mandar email para DEUS? Pelo amor de Deus! Obrigado por nos darem voz. O momento é agora, o tempo urge. Espero confiante também na JUSTIÇA como foi ágil e efeciente para o caso ISABELLA.

    Amaury Guedes Aposentado Varig/Aerus 75 anos vegetando.
    RG 4.330.775-9 SSP.SP
    [email protected]

  5. fabiano fachini

    Eu não diria Césares… mas diria "pilatos" e "heródes"… há poucos dias da Sexta-feira da Paixão de Cristo, nos deparamos com episódios modernos dos julgamentos públicos… "Solto barabás ou jesus?". Hoje, diriam nenhum, mas diriam: coloque-os na cruz para que possamos transmitir. Queremos espetáculo. Queremos justi, digo, vingança.

    Não defendo um ou outro, apenas gostaria que não houvessem espetáculos com a tristeza alheia. Ou que ao menos os "torcedores da justiça" estivessem com essa mesma disposição em outros lugares como: política ou tantos outros julgamentos de crimes diários que vemos por aí.
    uma pena, pois apenas os midiáticos merecem minutos, horas ou dias de sacrificio

Comentário