O TREM DA LINHA F. SOFRIMENTO DE UM POVO. POR ALESSANDRO BUZO.

O escritor e jornalista Alessandro Buzo escreve em seu blog, Suburbano Convicto (www.suburbanoconvicto.blogger.com.br), sobre os problemas da Linha F do trem da cidade de São Paulo, já históricos. Alessandro Buzo é morador do Itaim Paulista, bairro do extremo leste da capital paulista, e um dos 130 mil usuários diários do trem da Linha F. E quando é o povo que sai dos trilhos, chamam de "vândalo". Leia agora o texto na íntegra:

Linha F da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos)
Liga o Brás (região central de São Paulo) a Calmon Viana (município de Poá), passando por São Miguel Paulista e Itaim Paulista.
130 mil usuários por dia.
R$ 2,30 a passagem por pessoa (dá direito à baldeação gratuita com o Metrô e outras linhas da CPTM).

Continua em escala insuportável a situação dos usuários da Linha F da CPTM, que atende o extremo da zona leste de São Paulo.
Dia 26 de janeiro, depois do feriado de aniversário da cidade, o programa “Brasil Urgente”, da Rede Bandeirantes, apresentado pelo José Luiz Datena, sem ter o que mostrar num dia morto, seguiu uma composição da linha citada e "denunciou" que ela andava com as portas abertas e passageiros pendurados.
Ele seguiu o trem até quase o seu ponto final e, devido à matéria "AO VIVO", quando chegou no Itaim Paulista, os PFs (Policiais Ferroviários) fecharam as portas dele. Mas bastava o trem sair e as portas eram arrombadas de novo.
Isso foi o início de tudo…
A Linha F é o patinho feio do sistema ferroviário em São Paulo, escrevi dois livros sobre o tema e a linha: “O TREM – BASEADO EM FATOS REAIS (2000)” e”O TREM – CONTESTANDO A VERSÃO OFICIAL (2005)”.
Tudo por aqui é precário, os trens são velhos e cheios de problemas.
A CPTM tenta melhorar com repressão, mas só piora o problema. O que precisa para solucionar é a MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA, como ocorreu entre o Brás e Guaianazes na Linha E, que virou Expresso Leste. Lá, os problemas eram os mesmos e agora não existem mais.
A MODERNIZAÇÃO traz respeito, o usuário respeita um trem bacana, limpo, com ar-condicionado.
Mas a LINHA F (de feio) não tem jeito, vai governo, vem governo e ela continua esperando, ela e os 130 mil usuários que pagam R$ 2,30 na ida e na volta.
Depois da matéria do Datena, virou um inferno de vez, agora o trem só circula com as portas fechadas e, por não ter ar-condicionado, vira uma sauna, o alto-falante das estações e o maquinista dizem a frase: “Abrir a porta com o trem em movimento É CRIME, o infrator será retirado do sistema”.
Denúncia
A extinta estação Eng. Trindade, na região da Penha, está servindo para abordagem policial, o trem pára na estação desativada e o maquinista avisa que vai abrir as portas, então vêm os policiais e "enquadram o trem", mandando os "suspeitos" descerem, principalmente no último vagão (onde existe consumo de drogas).
Como pode mandar alguém descer num local ermo, com plataformas semidestruídas, cheias de mato e sem iluminação? É que ali se pode praticar qualquer tipo de agressão e abuso de poder.
Todos os problemas listados pela CPTM, camelôs, consumo de drogas, portas abertas seriam resolvidos com a MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA.
Obras paradas
Em 2006, foi anunciada a tal modernização, as estações Ermelino Matarazzo e Itaim Paulista seriam reformadas, as obras começaram e estão paradas desde o fim de novembro de 2006. Enquanto isso, a plataforma central do Itaim não existe mais e o embarque e desembarque é feito pelas laterais. Já em Ermelino, que só tinha a plataforma central, o serviço está sendo feito em improvisadas plataformas de madeira.
Anunciaram 3 novas estações, USP LESTE, Jd. Helena e Jd. Romano, essas ainda não saíram do papel.
Cada reforma paralisada aumenta o drama dos usuários.
Situação dos trens é de dar nojo
Os trens que atendem a Linha F são um lixo, verdadeiras carroças de lata.
Os buracos no assoalho de várias composições são tapados com MADEIRITE BATIDO A PREGO, a manutenção mais porca do mundo.
No dia 9 de fevereiro, peguei o trem no Brás às 16h30, nem era ainda horário de pico, mas o trem estava cheio. No meio do percurso, começou a chover e quase todos os passageiros sentados tiveram que se levantar, porque caía água pelas lâmpadas de iluminação e chovia mais dentro do que fora do trem. Os bancos ficaram encharcados e os passageiros obrigados a ficar em pé.
Alguma autoridade ou imprensa tem que falar por nós, fazer alguma coisa por nós.
O Datena pensa que é uma autoridade, mas ele não é porcaria nenhuma e sua reportagem só piorou o CAOS que os passageiros da Linha F passam diariamente.

130 MIL PESSOAS POR DIA PEDEM SOCORRO!!!
Alessandro Buzo é escritor e jornalista.
[email protected]

3 comentários para “O TREM DA LINHA F. SOFRIMENTO DE UM POVO. POR ALESSANDRO BUZO.”

  1. isabel

    stress sendo tratado como vandalismo
    como pode um vandalo sair de sua casa as 5:00 da manha chegar em uma das estaçao e ter sempre todos dias atrasos nas estaçoes entao e ai o que as autoridaes tem a dizer por que todos dias se tem atrazos na estaçao de guainazes e o que se mostra na midia que foi só na quele dia esta certo pra vcs, quando se tem alguns desses candidatos la nao se tem atrazo sera que é por que adm que é ótima na cptm, nao gente o que se tem nas estaçoes da cptm no horario que se ocorreu aquele tumultuo é trabalhodor cansados de pagar sua tarifa muito altas que é só isso que eles sabem fazer cobrar caro pra nada vao em busca e traz a verdade pro povo e parem de tratar trabalhador estressado como marginais e que a cptm coloque operarios mas preparado para estes tipo de situaçoes que se encontra na cptm

  2. Nego da Tijuco Preto

    É, agora melhorou pouco coisa no transporte. Algumas estações foram modernizadas (outras esquecidas) e novos trens foram entregues. Porém, o que podemos dizer é "se estávamos 50 anos atrasados, agora estamos só 20".
    Há muito a fazer. Ainda há atrasados, ainda há trens super lotados, ainda há desrespeito com a população.
    O governo anuncia "O maior investimento de todos os tempos nas linhas férreas", mas na prática, ainda está muito longe do ideal.

  3. Alessandro Buzo

    Salve
    E ai amigo Guilherme Azevedo, Marcelo Min, Brazil e equipe, tamo junto.
    Alessandro Buzo

Comentário