A questão não é de gênero

 

Querido Henfil,

A eleição foi um sucesso! Elegemos a primeira mulher para assumir o posto máximo da democracia tupiniquim. O negócio foi de dar água na boca – teve sabor de pedaço generoso de goiabada cascão.

Se o Gonzaguinha estivesse por aqui, cantaria em praça pública o fato de uma mulher (torturada e sacaneada pelo “mundo masculino”) ser eleita com o voto da população mais simples (torturada e sacaneada pelos “políticos de carreira”) – a gente brasileira tão distante de uma existência digna.

Talvez a gente conserve a ingenuidade nos olhos e acredite (não muito) em tudo que foi dito na campanha. A gente tem fé (um punhadim) que a educação vai melhorar (demais), o salário será menos miserável, todo brasileiro terá direito a morar decentemente, a vida será mais bela, quando aqueles que detêm o poder (sejam homens, sejam mulheres) forem dotados de algo imprescindível para quem deseja ver o outro bem: respeito.

Palavrinha boba. Palavrinha inofensiva. Está lá no Houaiss e deveria ser norteadora de todos os gestos das mulheres e homens eleitos pelo voto direto. Uma palavra que não tem efeito algum se restrita à clausura das bocas e dos discursos eleitoreiros. As palavras também torturam, ao serem ditas da boca para fora – só se fala de fome após um bom prato de arroz e feijão –; antes, é só para reforçar a condição de pedinte, de faminto.

A questão não é de gênero (mulher ou homem), quem estender a mão (com esmalte ou não) será bem-vindo(a). Mas chega de mentira. Chega de dizer do seu amor pelos mais necessitados. É tempo de desmontar os palanques e mostrar o rosto sem as velhas máscaras.

 

Clique aqui e leia o primeiro texto da série “Cartas para o irmão de Betinho”

Clique aqui para ler o segundo texto da série “Cartas para o irmão de Betinho”

Aqui, para ler o terceiro texto da série.

E aqui para ler o quarto.

 

Um comentário para “A questão não é de gênero”

  1. rodolpho Godoy

    Gigante pela Própria Natureza!
    O importante,é que ficamos livres do Lula que considero ,como político,um malandro refinado.e como diz O INO NACIONAL,o bRASIL É UM GIGANTE PELA P´ROPRIA NATUREZA,eindiferentemente de quem o governe, seguira a passos largos rumo á seu destino de pais abençoado por Deus .penso que mundo caminha paum sociálismo,sem muros de Berlim ou cortinas de ferro.Uma democra justa Um governo,realmente do povo e para opovo, utopia?

Comentário