Barrados na vida

 

O helicóptero sobrevoava a região.

Lá embaixo, a invasão.

 

Dona Maria fazia parte do movimento.

Viam naquela situação a chance de conquistar

Uma casa própria, ao menos, um lugar.

Para se instalar, com o filho.

E ter mais tranquilidade.

Para ir à busca de outras necessidades.

 

Era mãe solteira, tinha de cuidar do filho.

Trabalhava como doméstica e carregava sua cria.

Sempre que podia, aparecia no terreno.

O qual fora demarcado.

 

As coisas foram se ajeitando

E se instalaram de vez no terreno.

Já com o barroco pronto.

O filho, após brincar nas redondezas,

Chegou todo animado para a mãe e disse:

— Mamãe, ali do lado tem uma escola!

A mãe do menino, com um sorriso no rosto, disse:

— E ali mais acima tem um posto de saúde.

E disse mais:

— Agora, meu filho,

Você vai poder estudar e cuidar da sua bronquite.

 

Em uma bela manhã, no barraco de Dona Maria,

Era só alegria.

Estavam prontos para ir ao posto de saúde

E depois passar na escola.

 

Chegando ao posto, tinha uma enorme fila.

Ficaram ali, e o tempo passando.

Dona Maria notou as pessoas olhando, como se diz:

De cima pra baixo, e os comentários eram muitos.

Tipo: “É o pessoal da invasão”.

Esses comentários chegaram à recepção do posto.

“Logo, logo, vão desocupar a área.”

Quando chegou a vez de Dona Maria e do filho serem atendidos,

Não conseguiram marcar a consulta, muitas foram as restrições.

 

Saíram cabisbaixos, lá fora um homem se aproximou.

E disse:

— Eles enrolam, pois dizem que logo vão tomar posse.

Do terreno e todos vão embora.

Dona Maria olhou para o filho.

E no olhar uma lágrima caiu!

Ir à escola?

 

 

*Germano Gonçalves é escritor, autor, entre outros livros, de “A princesa e a lua”. Leia mais no blog dele clicando aqui.

 

Um comentário para “Barrados na vida”

  1. Valeria

    Ola! querido amigo a poesia e linda, mas a realidade e dura para quem tem e para quem não tem casa, para quem tem escola, mas não tem qualidade de ensino, para quem tem hospital do lado, mas não tem médico, para quem tem trabalho, mas não tem segurança para voltar para a casa, mas pra tudo isso mudar só depende de nós na hora de lutar e votar em um pais melhor.

    Boas Festas porque mesmo com a miséria do mundo tenho o prazer de ter vocês e muitos como amigo.

Comentário