Cidade Triste

Os helicópteros zunem no céu. O ônibus atrasa, o trem falta, o carro congestiona. Os caminhos são traições. As ruas são engolidas por viadutos. No túnel, não se caminha. Na ponte, não se anda. Nem nas avenidas, muitas vezes. O asfalto é chão de enxurrada. O concreto é chão que traga.
 
Os bairros são cortados por auto-estradas batizadas de avenidas; os distritos, cindidos. Os vizinhos são separados por pistas expressas; os amigos, apartados. Os bairros são ilhas e as periferias, terras esquecidas. Um ultraje em forma de elevado faz do centro um gueto. No muro, tento ler a pichação.
 
A felicidade custa caro nos quadriláteros restritos, nas ilhas noturnas. Nas ruas abandonadas, as sirenes cortam o silêncio porque a vida não tem valor no boteco sujo, na curva escura, no beco sem volta, no farol vermelho, no vazio da noite. No muro, a pichação diz “cidade triste”.
 
A multidão feroz disputa cada palmo de chão na manhã de quinta. A faca e a bala correm soltas na sexta, no sábado e no domingo. A multidão acuada foge pra casa na noite de segunda. A multidão desesperada some pelas estradas em qualquer feriado. No topo do prédio, vejo outra pichação.
 
Tudo espanta. Todo o fedor, marrom, amarelo. Tudo o que há de inóspito, cinza. Tudo o que agride. Tudo o que ofende e semeia o ódio. Gente que se evita, gente que se afasta, gente que se mata. No topo do prédio em ruína, está pichado “cidade odiada”. Nada mais espanta.

7 comentários para “Cidade Triste”

  1. Sandra

    Uma das melhores coisas que li na vida sobre são paulo!!!

  2. Lis

    Cindida cidade…
    A cidade que deveria congregar, separa. As ruas que deveriam ser locais de encontro, são evitadas. Tornam-se apenas vias através das quais as pessoas tomam seus esconderijos. Parece-me que você expressou bem a contradição que a violência impõe nos espaços públicos da cidade (até mesmo através das manifestações sociais), sem dizer diretamente. O leitor vai descobrindo (-se) enquanto lê. Muito bom! Parabéns pelo texto, Wellington!

  3. Pat Casagrande

    Aiiiii, o Wel é meu amigo!!!!
    Só para lembrar o quanto me orgulho de ser sua amiga. Parabéns, o texto é lindo…. como sempre!

  4. César

    um pouco de cor no jornalismo
    Cinza na cidade e, o que é pior, cinza nos corações. Parabéns pelo texto – um exemplo de cor no jornalismo cinza de São Paulo.

  5. Babi

    Parabéns pelo texto
    Muito forte, pena que seja também triste por ser tão verdadeiro.

  6. Tati

    uau!
    Lindo! Lindo! Lindo!

  7. Andréa

    Poesia no Caos
    Lindo texto. Lindo, verdadeiro e triste.
    Esta tristeza que nos atrai, vicia e aprisiona.

    Parabéns

Comentário