A constituição dos Quilombos

Fica decretado que todos os homens e mulheres

Devem espalhar o amor – na voz, nos gestos e no trabalho.

Não cabe mais o ódio – o roubo e a mentira.

Que toda criança seja pássaro andino

Em voo liberto sobre as cordilheiras de um país mais justo.

Que todo bicho, árvore e rio esteja a salvo

Do rifle – do machado e do veneno.

Que toda escola seja Quilombo

E que os alunos e professores

Escrevam juntos – cartas de alforria (alegria).

Fica decretado pela justeza histórica

Que ninguém, em nenhuma hipótese,

Seja tratado com desprezo pela sua origem.

Que a envergadura de um homem

Não seja medida pelas suas posses

E sim pelo tamanho do seu caráter.

Fica decretado que ninguém mais sentirá fome,

Porque a humanidade definitivamente

Será humana.

 

Créditos da Imagem: www.magnushistoria.com
Pintura de Johann Moritz Rugendas (Capoeira, 1835)

Comentário