Dentro do silêncio

 

Dentro do silêncio estão as sirenes
Os latidos dos cães e os gemidos de prazer e dor
Os passos no asfalto, o assalto à mão armada
E o grito desesperador
Dentro do silêncio há também o dormir de minha amada
E a música tocada por Ludwig van Beethoven
Além de outras coisas que não se ouvem no silêncio
Queria penetrar na quietude do teu sono
E em outro plano te falar do meu amor
Mas sei que não é são esse desejo
Espiono tua alma enquanto dormes
Há pouco eu a senti tão aqui dentro
No epicentro do orgasmo que tiveste
Mas foste embora no instante em que dormiste
Para onde, Meu Amor? Para onde?
Que mar navegas enquanto a insônia me consome?
Esperarei aqui por teu retorno
E andarei pelo contorno do teu corpo, impaciente
Fumarei o teu cigarro, correrei as folhas de algum livro
Vivo de te amar apenas, e por te amar me desordenas
No avesso do silêncio o galo canta
Eu adormeço no começo da manhã
E tu ao despertar ainda mais bela
Não saberás que por toda a madrugada
Ao lado do teu anjo fui também teu sentinela

 

Comentário