Em meu peito descansa uma faca

 

Ela começou com uma conversa chata

Sua língua sem papas

Daquela discussão

Uma ata

1 – Por que você comeu a Renata?

2 – Odeio quando você bebe leite com nata

3 – Você sempre me acha inapta

Bem, a Renata é uma gata

Estava pelada

Me mostrou a chavasca

Meu pau levantou como uma naja

 

Você é um babaca

Você é uma chata

Vaca

 

Que merda

Ela tinha uma faca

Que agora, em meu peito, descansa intacta

 

Estou deitado numa maca

Por que fui comer a Renata?

Não devia ter sido um babaca

Quando a vaca tinha uma faca

 

Olho para o lado e vejo uma garotinha

Ela anda como uma pata

Qué qué qué

Bebe refrigerante na lata

Nem pensa se ali tem mijo de rata

Abre seu chocolate ao leite Lacta

E anda como uma pata

 

A garotinha queria ser borboleta

Enrolou-se num cobertor

Dele fez casulo

Um dia e uma noite e nada de

Asas

Apenas uma febre

E uma tez opaca

 

Uma freira me olha

Não preciso de bata

Nem de beata

Só quero que você não me olhe

Como se eu fosse uma barata

Por causa da Renata, da nata e de uma mulher inapta

Agora em meu peito

Descansa uma faca

 

 

*Luiz Filho é jornalista e escritor. Contato: [email protected]

Um comentário para “Em meu peito descansa uma faca”

  1. Germano Gonçalves Arrudas

    Germano Gonçalves Arrudas

    POETAS
    Fiquei pensando…pensei em Ferreira Gular será!

Comentário