Meu Espaço

Tenho, cá, o meu espaço
Poucos sabem que existo
Mas no pedaço que me foi designado
Sou amado, ou no mínimo benquisto

Sou um privilegiado
Porque tenho um ganha-pão
Já troquei a madeira por tijolo
E, minha casa, já não chamam barracão

Planto sorrisos pra colher tranqüilidade
E nesse canto da cidade de que mal falam por aí
Ponho a cama na varanda
E na ciranda do tempo
Eu me mexo devagar
Pois, chegar, eu já cheguei
Se pro mundo eu não sou nada
Aqui, me sinto um rei

*Poema pertencente ao livro Dois Poetas e um Caminho (Edições Toró), com textos de Serginho Poeta e Binho, escritores da periferia de São Paulo.

Um comentário para “Meu Espaço”

  1. Esther

    sarau!
    Serginho! adorei!
    Nunca te vi no Sarau da Cooperifa…
    ou você anda indo pouco, ou eu mesma que nunca vou.

    Abração.

Comentário