Minha garota

Descendentes de italianos dos dois lados, tanto do lado do meu pai quanto da minha mãe. Ambos com irmãos. Família que gosta de falar, num tom quase gritado. Expressa emoção, vive cada momento com intensidade, alegria e risos incalculáveis e abraços intermináveis. Somos nós!

Como toda família de origem italiana, eram muitos os almoços de domingo em casa. Na maioria, meus avós estavam lá. Meu avô paterno foi militar e sempre contava histórias da cavalaria, da preparação física e do pensamento estratégico – O quê? Como? Quando? Também fazia parte falar de fonemas com o “h”, que ele sempre pronunciava como em “esfiha”, o “h” era aspirado. Depois entravámos na pronúncia de palavras em inglês e ríamos muito.

Ele sempre foi rígido e durão, mas era possível ver seu amor nesse tempo investido com a gente e também quando ele chamava a minha avó de minha garota. Claro que acompanhando um “minha garota” vinha a história de como eles se conheceram.

Do lado da minha mãe, não me lembro do meu avô, que morreu muito cedo, mas tenho as melhores lembranças que um neto pode ter da sua avó. O lanche de pão de cará com queijo branco, a gelatina no pote de alumínio, o vestido sob medida para os aniversários, festas à fantasia e qualquer outra ocasião, a companheira de viagens, a professora de direção, a conselheira, a avó.

Ela também tinha as melhores expressões. Lembro-me bem de quando ela disse: “Filha, você é uma bola”. Eu, sem entender, respondi: “Bola, vó? Sou magra!”. Gargalhando, ela explicou: “No meu tempo, isso queria dizer engraçada”. Rimos muito.

O interessante dessa convivência que tivemos é que cada um faz hoje parte de mim. Da mesma forma que me vejo na minha filha, consigo vê-los em mim. E outro dia, quando ensinava para minha filha os passos da escovação, logo após a desafiadora cuspida final, virei para ela e, comemorando seu acerto, disse: “É isso aí, minha garota! Toca aqui!”. E, ao mesmo tempo em que falei, pude ouvir meu avô falando o “minha garota” dele e senti seu carinho nas palavras pronunciadas.

Créditos da imagem: https://myphysiciansnow.com/

Comentário