O escultor de sorrisos

O cemitério próximo de casa acata a morte, a flor murcha acompanha o ambiente e os anjos de pedra – coitados – foram condenados a ter uma expressão sombria por desejo do artista. Por que não batem asas dali e vão procurar o céu, a estrela, a via Láctea e sei lá mais o quê? Talvez a mão pouco saiba da técnica de esculpir sorrisos.


Quem sabe os visitantes, ao verem estátuas sem aquele ar de luto eterno, pudessem substituir o tom carregado das roupas em nome de cores mais vivas. E, para falar a verdade, é difícil determinar quem está morto ou vivo. Dependendo do olhar, há sempre um cortejo fúnebre prestes a acontecer.

Dizem que o homem é produto do meio, e o meio será produto de quem? É mesmo muito confuso o mundo… Como ando à procura de perguntas e jamais de respostas, resolvi visitar o cemitério e contrariar aquele amontoado de pedras tristes com um sorriso ridículo nos lábios.

O mais assustador foi constatar a originalidade das mensagens escritas nas lápides dos túmulos. Numa delas, li: “Aqui descansa em paz um bravo soldado”. Por que será que os soldados só encontram a paz quando estão mortos? Em outro, mais adiante: “Aqui jaz um homem honesto”. Se foi tão honesto, não precisaria deste marketing todo após sua morte.

Foi quando avistei lá ao fundo, entre dois anjos carbonicamente sérios, um arcanjo que parecia sorrir para mim, ou de mim. Sua gargalhada muda encontrou o céu, a estrela, a via Láctea e fez sorrir a flor.

6 comentários para “O escultor de sorrisos”

  1. Fernanda Oliveira Asnar

    Sempre poeta
    Meu querido Silvio, me impressiona o quanto você enxerga poesia, aliás, você é a poesia. Simplesmente te adoro. "Um beijo com sabor de amora colhida no pé da vida."

  2. aluna secreta

    Silvio
    Parabéns o senhor é realmente inteligente e criativo acredito que o senhor também pode fazer parte da lista dos melhores escritores do Brasil, você pode você tem capacidade eu te adimiro e quando fala em minha sala suas sobre suas crônicas fico muito feliz pelo senhor e também sei que não lé sua crônica para se achar sei que é para compartilhar conosco a sua conquista abraços não quero colocar meu nome obrigado por não desistir da minha sala…

  3. Sílvio Valentin Liorbano

    Sílvio Valentin Liorbano

    Um abraço
    Ainda bem que vocês gostaram. Imenso abraço para a Imara, a Marina e a Maisa.

  4. Imara Pascoal do Nascimento

    Professor Silvio.
    Professor Sílvio Valentin Liorbano,quem diria que um dia eu pudesse conhecer uma pessoa como o Senhor?Como agradecer o que o senhor faz por nós todos os dias?Não ha um dia que você esteja triste, sempre chega com brincadeiras na sala,e sorrindo… Espero que o senhor consiga realizar todos seus sonhos.Sei que você só pega no meu pé para que um dia eu seja alguém,e te agradeço por isso.

    E parabéns.

    Beijos

  5. Maisa

    Silvio poeta,adorei seu texto…
    Abraços.

  6. Marina

    "O grande poeta da minha escola"
    A verdade é que nunca imaginei que em minha vida escolar eu iria encontrar um professor poeta que não só dá aula de português como ensina como ser um grande cidadão.Estou muito feliz pelo senhor e saiba "Que tudo que agente planta de bom na vida agente colhe"
    Parabéns! E nunca se esqueça de sorrir.

Comentário