O ladrão e o poeta

Em uma tarde, quase chegando o anoitecer, Germano se encontrava na Rua Manoel Botelho com o Gordo, o Nunes, o Ricardo e o Nestor. Estavam no bar do Seu Dito.

Os colegas não tinham lá muita familiaridade com a literatura; do grupo, apenas quem era escritor e poeta era Germano. Por isso se divertiam jogando conversas fora.

De repente, um sujeito mal invocado, petulante, sem que o grupo perceba, anuncia um assalto com a arma na cabeça do poeta, que lança um grito, antes que se acalme:

─ Não machuque ninguém!

O assaltante, cheio de atrevimento, replica:

─ Ora, cale a boca e passe as carteiras com os dinheiros!

O Gordo, rapaz robusto e de cara ainda mais feia que a do assaltante, não se controla:

─ Aqui ninguém tem dinheiro, não, somos trabalhadores, deixe-nos em paz!

─ Não, Gordo ─ adiantou-se Germano.

─ Deixe ele fazer o serviço, o importante é sairmos ilesos.

─ Mas, Germano… ─ protestou o Gordo. – É desaforo…

Ao escutar o nome do poeta, reconhece-o como escritor do seu bairro, e se lembra de seus trabalhos de incentivo à leitura e muda de feição, de caráter, e recolhe a arma. E exclama, todo amável e afetado:

─ Germano Gonçalves! Perdão, meu caro escritor de meu bairro, não sou muito lá fã da leitura, não, mas vejo por aí seus trabalhos e admiro muito, perdão pra todos.

E o larápio saiu porta afora, desceu os poucos degraus olhando para o grupo e sumiu estrada já noite adentro.

Deixando no pensamento de Germano Gonçalves, naturalmente, uma forte impressão do prestígio de ser escritor e poeta, ainda que de sua periferia.

 

Imagem: Arte sobre ilustração do CoolClips.com

 

8 comentários para “O ladrão e o poeta”

  1. José Severino pessoa

    Lendo essa história use ler uma linda história do germano Gonçalves. Muito linda essa história. Como que as coisa acontece na realidade
    Ou esmola de ficção mas é coisa que acontece na realidade. Isso me aconteceu De verdade. Eu não tenho saudade. Mas são coisas que as vezes acontece pra que agente tenha mais cuidado por onde anda e como reagir numa hora dessa .Não gostaria que acontecesse com ninguém. E muito chato essas coisas . Valeu germano. Gostei do seu poema .e muito bom.

  2. Germano Gonçalves

    Germano Gonçalves

    Agradece a todos (as) pela consideração, isso é a poesia em ação, valeu!

  3. Paulinho Dhi Andrade

    Adorei. Lembrei-me de um episódio que aconteceu com o Raper Gabriel Pensador quando ele foi reconhecido dentro de um ônibus e escapou de ser assaltado, rsrsrs…. Muito bom. Gostei.
    Parabéns.

  4. Luciene

    Ser reconhecido e respeitado pelo fato de ser um escritor, não tem preço. Parabéns, pelo texto e por aquilo que inspira nas pessoas.

  5. Adalberto

    Parabéns irmão Germano, um poeta de luta e resistência. O Homem que anda com armas sempre empunho, fazendo dos livros a trajetória de transformação de si e também dos outros, militante da revolução concreta! Poeta de afeto e relação humana, percorre morros, vielas, escolas e bares, não importa o lugar, o grande poeta periférico será reconhecido, pelas suas poesias e livros……..

  6. valentim

    Quando entro péla primeira vez na sala de aulda da faculdade do ensino de historia….

    Sem saber sentei perto deste cara….

    Ai meus amigos, durante treis anos tive a honra de estar perto de um grande poeta que é e será para a sempre…

    Germano otimo texto… e voce …

  7. Shellah Avellar

    Shellah Avellar

    Isto sim é uma “mudança de paradigma” instantâneo .A Literatura é uma arma poderosa…
    Parabéns, meu queridíssimo amigo Germano.É disto que se trata. Simples assim…

  8. Keli Vasconcelos

    Keli Vasconcelos

    Texto incrível, Germano. Isso mostra que a literatura transforma, reforça, reforma. Independentemente do alcance, independentemente da forma. Parabéns!

Comentário