O menino que queria atirar

— Eu vou atirar!
(Gritava o moleque.)
Me deixa aqui quieto.
Não tô de brincadeira, não…
Eu vou atirar!

Lá do fundão dava pra escutar.
Pá, pá, pá…

— Nossa, que coisa! Depois dizem que é menor de idade.
(Falava a população.)

O moleque está atirando.
Pá, pá, pá…
Toda a vizinhança está olhando.
Os tiros não param.
Pá, pá, pá…

A mãe chega e diz:
— Agora, é assim: vendem essas armas em qualquer quebrada.
Algumas eles mesmos fazem.
Aí o moleque não para mais de atirar.
Pá, pá, pá…
— Tento segurar ele em casa, mas logo cedo ele vai lá pro centro da cidade.
Conheceu um sebo que vende essas armas.
Não se pode denunciar, os sebos são legalizados.

Daqui a pouco a polícia chega.
Pra acabar com esses tiros.
Vão dizer que lhes estão incomodando.
Que a arma do moleque
É uma ameaça ao Estado.
É uma arma 14 por 21.

E o moleque continua atirando.
Pá, pá, pá…
Incentivando até as crianças.
Era com 32, 38, 765.
Tinha até uma 12.
E até importadas lá dos estrangeiros.

Quando a polícia chegou,
Foi logo avisando:
— Vamos verificar essas armas aí.
Então o moleque disse:
— Calma aí, seu guarda. Na verdade eu sempre
Ando armado, e armas eu tenho de vários gêneros.
Pra atirar pra tudo quanto é lado.
Arma branca, antiga, arma de índio, arma de negro.
Arma de jornalista e até mesmo arma de policial.
O policial então disse:
— Então tem um arsenal.
O moleque respondeu:
— Não, uma bienal, uns alfarrábios, como queira!
Vou mostrar para os senhores.

Os policiais logo se armam, mas logo percebem.
Que a 32 e a 38 são infantojuvenil, que a 765 é romance e a 12 é infantil.
Esses eram os tiros que saíam das armas que o moleque colecionava.
Livros de 32, 38, 765 e 12 pá, pá, pá… páginas.
Com mais de mil tiros, pá, pá, pá… palavras.

 

Imagem: Arte de Carol Peres sobre fotografia de arquivo

4 comentários para “O menino que queria atirar”

  1. Maria Lourdes Martins

    Que lindo! Bravo \O/ A leitura sem duvida alguma é uma arma poderosíssima. O analfabetismo, um dos grandes obstáculos da educação no Brasil está sendo combatido com a educação de jovens e adultos, mas a tecnologia está afastando as crianças dos livros. A formação do indivíduo, tanto no seu caráter, como na sua personalidade, depende também, do quanto ele entende sobre a importância da leitura para a sua vida. Nos dias de hoje existem inúmeras pessoas analfabetas, que não possuem entendimento do certo, do justo e da verdade. Essas pessoas acreditam apenas nas palavras de pessoas que têm o poder da palavra, a leitura é poder, o poder de acreditar em algo, sabendo realmente o significado daquilo que se acredita! Ler é ampliar horizontes. Adorei! Deus abençoe você!

  2. Keli Vasconcelos

    Keli Vasconcelos

    Bela história bélica. A das armas das palavras, dos escudos dos estudos. Atirar livros, ideias, sonhos. Persegui-los, correndo sempre o risco. Adorei Germano, parabéns! 🙂

  3. Valter Luis (Limonada)

    Valter Luis (Limonada)

    Firmezza, mais um soco de CONSCIÊNCIA no Sistema !!!!

  4. Elisabete

    Achei muito legal mais na hora que comecei a ler pensei que ele era bandido e fiquei contente ao descobrir que eram só livros e se todas as crianças fossem incentivadas a ler seria muito bom pois o conhecimento ninguém pode lhes tirar e ler é cultura adoro ler até propaganda que me dão na rua.kkk

Comentário