Porta-retratos

 

Abre-se a porta

Dobra-se à direita

Em frente, reto, a porta do quarto já aberta

Lá se vê

Em meio a duas estantes de livros

Entre personagens e escritores

Ele fica ainda mais bonito

Lá está ele com ela

A sintonia do quarto se completa

Com outras peças

Ele é o único daquele quarto

Ninguém tem outro espaço ali

O que ele vê, presencia é um mundo

De sonho, magia

Insônia, angústia

Ele pode se achar:

É grande, bem emoldurado e belo

Quem contempla a moldura são dois personagens

Ali, no mesmo instante, juntos

Compartilhando um momento único

Eternizado na foto

Agora no porta-retratos

 

*Angélica Weise é jornalista e pesquisadora de comunicação.

Comentário