Vivo

 

Vivo porque é uma aventura

Cheia de desventura

Mas que não perde a sua ternura

 

Vivo um desafio diferente

Com choro nos olhos

Com sorriso sempre à frente

 

Vivo um dia de cada vez

Com tropeço eu trupico

Me levanto

Me encanto

E sigo outra vez

 

Vivo uma noite de soneca

Me enfeito como boneca

Como bolo de caneca

Se for preciso, jogo peteca

 

Vivo um dia de chuva

De sol ou de névoa

De chegada e de partida

De tristeza e de alegria

Pois que tudo se encaixe como luva

 

Vivo porque é necessário entender

Sentir, perceber

Ver a borboleta, a falena pairar

O casal no metrô se beijar

O trabalho na mesa acumular

 

Se a saudade tentar me matar

Eu vou tentar me defender

Com palavras para rimar

 

Vivo para conhecer

Escolher, reconhecer

Arrepender, defender

 

Encontrar e despedir

Implorar e dividir

Ponderar o imponderável

Publicar o impublicável

 

Vivo porque preciso ser eu mesma

Colocar as cartas na mesa

Olhar o mar lá no fundo

E gritar: viva este mundo!

 

 

Veja mais de Keli Vasconcelos no canal dela no Youtube, clicando aqui.

Um comentário para “Vivo”

  1. regina mallol

    Keli,
    muito bom parabéns!!!!
    bj
    Re

Comentário